Literatura Espírita

A Alma é Imortal - Gabriel Delanne   - Downloads: 10

O Espiritismo projeta luz nova sobre o problema da natureza da alma. Fazendo que a experimentação interviesse na filosofia, isto é, numa ciência que, como instrumento de pesquisa, apenas empregava o senso íntimo, ele facultou que o Espírito seja visto de maneira efetiva e que todos se certifiquem de que até então o mesmo Espírito estivera muito mal conhecido.

O estudo do "eu", isto é, do funcionamento da sensibilidade, da inteligência e da vontade, faz se perceba a atividade da alma, no momento em que essa atividade se exerce, porém nada nos diz sobre o lugar onde se passam tais fenômenos, que não parecem guardar entre si outra relação, afora a da continuidade. Entretanto, os recentes progressos da psicologia fisiológica firmaram que íntima dependência existe entre a vida psíquica e as condições orgânicas de suas manifestações. A todo estado da alma corresponde uma modificação molecular da substância cerebral e reciprocamente. Mas, param aí as observações e a ciência se revela incapaz de explicar porque a matéria que substitui a que é destruída pela usura vital conserva as impressões anteriores do espírito.

A ciência espírita se apresenta, justo, para preencher essa lacuna, provando que a alma não é uma entidade ideal, uma substância imaterial sem extensão e sim que é provida de um corpo sutil, onde se registram os fenômenos da vida mental e a que foi dado o nome de perispírito. Assim como, no homem vivo, importa distinguir do espírito a matéria que o incorpora, também não se deve confundir o perispírito com a alma. O "eu" pensante é inteiramente distinto do seu envoltório e não se poderia identificar com este, do mesmo modo que a veste não se identifica com o corpo físico. Todavia, entre o espírito e o perispírito existem as mais estreitas conexões, porquanto são inseparáveis um do outro, como mais tarde o veremos.

Quererá isto dizer que encontramos a verdadeira natureza da alma? , visto que esta se mantém inacessível, tanto quanto, aliás, a essência da matéria. 2 vemos, no entanto, descoberto uma condição, uma maneira de ser do espírito, que explica grande cópia de fenômenos, até então insolúveis....

A Caminho da Luz - Emmanuel - Chico Vavier   - Downloads: 8

Enfoca, desde a gênese planetária até as perspectivas para o futuro da humanidade, abordando temas como: os primeiros habitantes da Terra, povos e religiões do passado, Império Romano e Revolução Francesa. Esclarece que os Espíritos sempre zelaram pelo desenvolvimento humano e o orientaram, de acordo com os desígnios da divina misericórdia.
Quem busca compreender nosso mundo e penetrar nas origens do planeta vai encontrar neste livro a resposta.
Dos eventos, fatos, situações e personagens que, através do tempo, balizaram a nossa marcha, o autor espiritual destacou os mais relevantes e os apresenta em notável trabalho de síntese.
Narra a história da civilização à luz do Espiritismo, mostrando a verdadeira posição do Evangelho do Cristo em face das religiões e filosofias terrenas.
Trata dos primeiros habitantes da Terra, perpassando as páginas históricas dos povos, dos grandes impérios e das mutações que se sucedem na direção do futuro.
Emmanuel demonstra que, por determinismo divino, estamos todos a caminho da Luz.

Antelóquio:
Meus amigos, que Deus vos conceda paz. 
É-me grata a vossa palestra a respeito dos nossos trabalhos. Esperamos e supliquemos a bênção do Alto para o nosso esforço. Dando seguimento aos nossos estudos, procuremos esforçar-nos por mostrar a verdadeira posição do Evangelho do Cristo, tanta vez incompreendida aí no mundo, em face das religiões e das filosofias terrenas.
Não deverá ser este um trabalho histórico. A história do mundo está compilada e feita. Nossa contribuição será à tese religiosa, elucidando a influência sagrada da fé e o ascendente espiritual, no curso de todas as civilizações terrestres. O livro do irmão Humberto foi à revelação da missão coletiva de um país; nosso esforço consistirá, tão somente, em apontamentos à margem da tarefa de grandes missionários do mundo e de povos que já desapareceram, esclarecendo a grandeza e a misericórdia do Divino Mestre. Vamos esperar os dias próximos, quando tentaremos realizar nossos planos humildes de trabalho. Que Deus vos conceda a todos tranquilidade e saúde, e a nós as possibilidades necessárias. Muito vos agradeço o concurso de cada um no esforço geral. Trabalhemos na grande colmeia da evolução, sem outra preocupação que não seja a de bem servir. Àquele que, das Alturas, sabe de todas as nossas lutas e lágrimas. Confiemos nEle. Do seu coração augusto e misericordioso parte a fonte da luz e da vida, da harmonia e da paz para todos os corações. Que Ele vos abençoe. 

Emmanuel 
(Pedro Leopoldo, 17 de julho de 1938)

A Casa do Escritor - Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho / Patrícia   - Downloads: 3

Patrícia nos apresenta um lugar especial: A Casa do Escritor. Ali estudam os espíritos que são preparados para serem médiuns ou escritores. Mostra-nos a influência dos espíritos sobre os escritores e toda a dedicação e o preparo necessário para que os textos ditados sejam mensagens que elevam a alma.

Narrativa espiritual de Patrícia
Psicografia de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho.

Patrícia, uma jovem desencarnada nos descreve detalhadamente sua passagem pela Colônia de Estudos, A Casa Do Saber,onde permaneceu dois anos, sendo mais uma nova etapa de sua vida espiritual. A maior parte do tempo ela permaneceu em salas de aulas, ouvindo palestras.Obteve o conhecimento da comunicação pelo pensamento, e como se locomover, volitando.Visitou várias Colônias,Casas de Socorro, o Umbral e entre elas a que mais lhe chamou à atenção foi a Colônia Triângulo, Rosa e Cruz,uma colônia em forma de triângulo, e que visava um aprendizado maior entre as culturas oriental e ocidental.Com o término deste curso, Patricia começouum novo curso, na Casa do Escritor, era uma colônia pequena,que ela descreve como maravilhosa.Também permaneceu dois anos,e lá aprendeu sobre psicografia,como , o que e para quem escrever, estudou e treinou muito para conseguir fazer parte da equipe literária. Destaca que nem todas as revelações são permitidas, como datas, anúncios de desgraças. Descobriu que através da psicografia é possível ajudar, alertar e recordar os ensinamentos de Jesus.A leitura modifica os pensamentos, tanto para o bem como para o mal.A Casa recebe muitas visitas,espíritos de outros países e outras casas, para troca de idéias e experiências.É como uma fonte de energia e força ,o apoio espiritual que restaura e beneficia quem precisa.A Equipe partiu para Terra para observar o trabalho de encarnados com a literatura foram a uma editora, onde inspiram as capas, folhetos, qual o livro que deveria ser editado.Em outra, assombraram-se com inúmeras revistas e livros obscenos..Nos mostra como se processa uma obsessão com um literato por um espírito vingativo.O texto nos mostra a dificuldade de fazer bons livros por falta de bons médiuns , dedicados e corretos.Ela visitou o Umbral, um lugar feio, em conseqüência dos erros do ser humano onde se aprende a vampirizar e obsediar.As conversas eram difíceis naquele lugar ,onde o ambiente era de ódio e vingança.A dificuldade daqueles seres entenderem que Deus é amor e só quer o bem dos seus filhos, que não nos devemos nos envergonhar em chamá-lo e orar. Poucos são os que querem o auxilio. Foram relatos muito comoventes.Na Colônia Patrícia aprendeu muito nas conversações sadias e cheias de conhecimento de espíritos estudiosos e amantes da boa literatura.Principalmente que não devemosnos tornar prisioneiros de quem amamos, como fazem muitos encarnados aos seus ternos desencarnados. Em vez de ajudá-los a enfrentar a nova existência, choram, reclamam, desesperam-se,chamando-os para perto de si, fazendo mal aos que amam.Os desencarnados, sentem os pensamentos dos que os amam. Desesperarem-se com a agonia dos seus entes queridos encarnados. Chegando às vezes a se perturbarem com os chamamentos dos mesmos.Esclarece como é bom quando os entes queridos entendem , como é confortador desencarnar com os conhecimentos Espíritas. Nos últimos seis meses em que ela fazia o curso, começou a ditar os rascunhos que escrevia para sua tia Vera.

A Vida Escreve - HIlário Silva   - Downloads: 3

A Vida Escreve reúne fatos da vida cotidiana objetivando provar que o homem é o artífice do seu destino. Através de contos singelos, aborda temas variados como: ciúme, obsessão, temor da morte e suicídio. Traz a orientação do Plano Espiritual ao entendimento humano, de modo fácil. Observa que a Doutrina Espírita, chegando à mente comum, exige novas formas de pensamento para a transformação justa da vida. Ressalta que as idéias claras são imperativo para possibilitar a regeneração dos hábitos e atitudes. O livro busca falar de coração para coração, eliminando os prejuízos e preconceitos com fraternas mensagens.

Ação e Reação - André Luiz / Chico Xavier   - Downloads: 7

Aqui é encontrada uma descrição das regiões inferiores da esfera espiritual e do sofrimento a que se projeta a consciência culpada, após a morte do corpo físico. São apresentados estudos de casos reais, oferecendo orientações sobre o débito aliviado, a lei de causa e efeito, os preparativos para a reencarnação, os resgates coletivos e o valor da oração. O autor mostra-nos que as possibilidades na atual existência estão vinculadas às ações em existências passadas, do mesmo modo que as ações na atualidade condicionarão as possibilidades futuras.

Agenda Cristã - André Luiz / Chico Xavier   - Downloads: 4

Pequeno curso de espiritualidade que André Luiz apresenta, não se tratando de presunçoso ementário de recomendações rigoristas. É mensagem amiga para companheiros que reclamam diretrizes dos espíritos, como se o verdadeiro trabalho salvacionista residisse fora deles mesmos. Ele apresenta a palavra do nosso plano de luta, onde aprendemos que o milagre da perfeição é obra de esforço, conhecimento, disciplina, elevação, serviço e aprimoramento no templo do próprio "eu". Não se trata, portanto, de manual pretensioso. Aqui o leitor observará somente a lembrança dos antigos ensinos do mestre Jesus Cristo, em novo acondicionamento verbal, de modo a recordarmos com ele que o reino divino - edificação de Deus no homem - em verdade jamais surgirá no mundo por aparências exteriores. 

Almas em Desfile - HIlário Silva   - Downloads: 3

Sim, em toda parte e em todos os dias, há desfile de almas.
A vida garante a exibição.
E cada pedaço do mundo é recanto de passarela por onde transitam as criaturas, dando mostras de si mesmas.
Almas que se arrastam.
Almas que lutam.
Almas que riem.
Almas que choram.
Partilhando igualmente a marcha, caminha corretamente. Não recues, nem te apresses. Observa os companheiros, sem espanto e sem crítica, a fim de que a lição de cada um te sirva ao aprendizado.
Toda vez que te inclines para esse ou aquele caminheiro, estende o coração e as mãos, em forma de entendimento e de amor, porque todas as filas prosseguem adiante, com encontro marcado no túnel da morte. E do túnel da morte cada alma em desfile surgirá no Outro Lado para receber, no Posto de Pedágio do Destino, segundo o próprio merecimento.

Hilário Silva
(Uberaba, 29 de agosto de 1960)

Alvorada Cristã - Neio Lúcio   - Downloads: 7

As páginas de Neio Lúcio, consagradas à mente juvenil em todos os padrões da experiência física, são, em verdade, valioso curso de iluminação espiritual.
Sementeira de princípios renovadores, aqui encontramos avançadas noções de justiça e bondade para a elevação da vida. E a luta terrestre, em seus fundamentos, ainda mesmo considerada no setor expiatório, resume-se na obra educativa para a eternidade.
A instrução é, sem dúvida, a milagrosa alavanca do progresso. Sem ela, perseveraria a mente humana nos resvaladouros da ignorância, confinada à miséria, à ociosidade, à indigência e ao infortúnio, através da delinqüência na praça pública e da correção na penitenciária.
Mas não basta esclarecer a inteligência, repetiremos ainda e sempre. É imprescindível aperfeiçoar o coração nos caminhos do bem.
Nero, o tirano, era discípulo de Sêneca, o filósofo.
Tito, o príncipe admirável, que costumava dizer “perdi o meu dia”, quando à noite o alcançava sem algum gesto excepcional de bondade, mandou massacrar mais de dez mil israelitas doentes, abatidos e mutilados, depois de arruinar Jerusalém.
Marco Aurélio, o imperador virtuoso e sábio, consentiu no morticínio de cristãos indefesos.
Inácio de Loiola, maravilhosamente bem-intencionado, tinha o cérebro cheio de letras quando incentivou a perseguição religiosa.
Marat, o demagogo sanguinário, era jornalista de mérito e intelectual de renome.
Todos os fazedores de guerra, ditadores e revolucionários, antigos e modernos, foram incubados no convívio de professores ilustres, de páginas científicas, de livros técnicos ou de universidades famosas.
Razão sem luz pode transformar-se em simples cálculo.
Instrução e ciência são portas de acesso à educação e à sabedoria.
Quem apenas conhece nem sempre sabe.
A cultura do espírito vai mais longe: ajuda o homem a converter-se em santuário vivo, através do qual se irradia o Poder Soberano e Misericordioso.
Necessário, pois, semear pensamentos enobrecedores e santificantes, amparando a mente que recomeça a lição de aprimoramento individual.
Esquecer a infância e a juventude será desprezar o futuro.
Regozijando-nos, assim, com a tarefa do amigo que nos doou estas páginas, cheias de sentimento paternal e de idealismo superior, saudamos, em companhia dele, a alvorada sublime de amor e paz, que resplandece, com Jesus, para a Terra de amanhã, regenerada e feliz.

Emmanuel
(Pedro Leopoldo, 21 de junho de 1948)

Ave Cristo - Emmanuel - Chico Xavier   - Downloads: 2

Conduzindo o leitor ao terceiro século da Cristianismo, esta obra, ditada ao Francisco Cândido Xavier pelo Espírito Emmanuel, traz aos cristãos de hoje o valoroso exemplo de simplicidade, confiança e amor com que os pioneiros da Boa Nova se entregaram ao serviço do Divino Mestre, tendo por sustentá-los os recursos de uma poderosa e inquebrantável fé. Em lances comoventes, é narrada a história de duas almas, Quino Varro e Ticiano, ligadas por várias reencarnações, na qual podemos sentir o quanto pode realizar o verdadeiro amor, em suas manifestações de solidariedade a bem das criaturas humanas. 1ª Edição especial comemorativa.

Boa Nova - Humberto de Campos / Chico Xavier   - Downloads: 6

Passagens evangélicas de expressiva beleza, em que Jesus com seus discípulos e outras conhecidas personagens trazem lições de sabedoria ao homem atual. Reúne trinta episódios que envolvem o leitor pela ternura e encanto de situações relacionadas com a presença do Cristo de Deus. O autor lembra que todas as expressões evangélicas têm, entre nós, a sua história viva.
Psicografado pelo médium Chico Xavier na década de 40, "Boa Nova" foi ditado pelo Espírito de um dos mais respeitados escritores brasileiros: Humberto de Campos. O livro é uma reunião de pequenas histórias em que Jesus e seus primeiros seguidores são os personagens principais. A cada narrativa de "Boa Nova", emoções renovadas, sobre sentimentos, grandeza moral... Afinal, são situações em que Jesus surge em sua dimensão, como amigo, filho, companheiro de viagem e educador de consciências também na convivência diária.
Na Escola do Evangelho
Oferecendo esse esforço modesto ao amigo leitor, julgo prudente endereçar-lhe uma explicação, quanto à gênese destas páginas.
Dentro delas, sou o primeiro a reconhecer que os meus temas não são os mesmos. Os que se preocupam com a expressão fenomênica da forma não encontrarão, talvez, o mesmo estilo. Em período algum, faço referências de sabor mitológico. E naqueles velhos amigos que, como eu próprio aí no mundo, não conseguem atinar com as realidades da sobrevivência, surpreendo, por antecipação, as considerações mais estranhas. Alguns perguntarão, com certeza, se fui promovido a ministro evangélico.
Semelhante administração pode ser natural, mas não será muito justa. O gosto literário sempre refletiu as condições da vida do Espírito. Não precisamos muitos exemplos para justificar a afirmação.. Minha própria atividade literária, na Terra, divide-se em duas fases essencialmente distintas. A página do Conselheiro XX é muito diversa das em que vazei as emoções novas a dor, como lâmpada maravilhosa, me fazia descobrir, no país da minhalma.
Meu problema atual não é o de escrever para agradar, mas o de escrever com proveito.
Sei quão singelo é o esforço presente; entretanto, desejo que ele reflita o meu testemunho de admiração por todos os que trabalham pelo Evangelho no Brasil.
Nas esferas mais próximas da Terra, os nossos labores por afeiçoar sentimentos, a exemplo do Cristo, são também minuciosos e intensos. Escolas numerosas se multiplicam, para os espíritos desencarnados. E eu, que sou agora um discípulo humilde desse educandário de Jesus, reconheci que os planos espirituais têm também o seu folclore. Os feitos heroicos e abençoados, muitas vezes anônimos no mundo, praticados por seres desconhecidos, encerram aqui profundas lições, em que encontramos forças novas. Todas as expressões evangélicas têm, entre nós, a sua história viva. Nenhuma delas é símbolo superficial. Inumeráveis observações sobre o Mestre e seus continuadores palpitam nos corações estudiosos e sinceros.
Dos milhares de episódios desse folclore do céu, consegui reunir trinta e trazer ao conhecimento do amigo generoso que me concede a sua atenção. Concordo em que é pouco: mas isso deve valer como tentativa útil, pois estou certo de que não me faltou o auxílio indispensável.
Hoje, não mais cogito de crer, porque sei. E aquele Mestre de Nazaré polariza igualmente as minhas esperanças. Lembro-me de que, um dia palestrando com alguns amigos protestantes, notei que classificavam a Jesus como “rocha dos séculos”. Sorri e passei, como os pretensos espíritos fortes de nossa época, aí no mundo. Hoje, porém, já não posso sorrir, nem passar. Sinto a “rocha” milenária, luminosa e sublime, que nos sustenta o coração atolado no pântano de misérias seculares. E aqui estou para lhe prestar o meu preito de reconhecimento com estas páginas simples, cooperando com os que trabalham devotadamente na sua causa divina, de luz e redenção.
Jesus vê que no vaso imundo de meu espírito penetrou uma gota de seu amor desvelado e compassivo. O homem perverso, que chegava da Terra, encontrou o raio de luz destinado à purificação de seu santuário. Ele ampara os meus pensamentos com a sua bondade sem limites. A ganga terrena ainda abafa, em meu coração, o ouro que me deu da sua misericórdia; mas, como Bartolomeu, já possuo o bom ânimo para enfrentar os inimigos de minha paz, que se abrigam em mim mesmo. Tenho a alegria do Evangelho, porque reconheço que o seu amor não me desampara. Confiado nessa proteção amiga e generosa, meu Espírito trabalha e descansa. 
Agora, para consolidar a estranheza dos que me leem, com o sabor de crítica, tão ao gosto do nosso tempo, justificando a substância real das narrativas deste livro, citarei o apóstolo Marcos, quando diz ( 4: 34 ): “E sem parábola nunca lhes falava; porém, tudo declarava em particular aos seus discípulos”, e o apóstolo João, quando afirmava ( 21: 25): “Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez e que, se cada uma de per si fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem”.
E é só. Como se vê, não faço referência aos clássicos da literatura antiga ou contemporânea. Cito Marcos e João. É que existem Espíritos esclarecidos e Espíritos evangelizados, e eu, agora, peço a Deus que abençoe a minha esperança de pertencer ao número destes últimos.

Humberto de Campos
(Pedro Leopoldo, 9 de novembro de 1940)